O que comunicar

A necessidade de fazer uma dieta sem glúten levanta inevitavelmente as seguintes questões: o que é que a escola oferece ao almoço?

E se há festas de aniversário e o meu filho não pode participar?

E se ele ingere plasticina, tintas ou giz?

Os seguintes conselhos podem ajudar na adaptação:

  • Dê ao seu filho o controlo da dieta: por mais pequeno que seja, assim que o diagnóstico surge, deve-se incutir nele a responsabilidade pela sua Rapidamente, ele compreenderá e passará a avisar os outros sobre o que pode e não pode comer.
  • Educar o pessoal da escola/jardim-de-infância: deve-se agendar uma reunião com o professor, de preferência antes do início das aulas e explicar a condição do seu Deve-se também fornecer material escrito, claro e conciso, sobre a DC  aos professores, director e/ou enfermeiro (caso haja). Deve-se certificar de que eles entendem a gravidade da ingestão acidental de glúten. Lembrá-los que devem contactá-lo se houver qualquer dúvida, ao invés de arriscar.
  • Refeições: use o bom senso: fale com o nutricionista ou a pessoa responsável pela preparação de Reveja os menus, informe quais os alimentos que o seu filho pode ou não comer, e fale sobre a importância de usar utensílios limpos para evitar a contaminação cruzada. Lembre-se que tem sempre a opção de enviar as suas próprias refeições, se achar que a escola não está a controlar a dieta sem glúten. Pode também fornecer à escola os produtos sem glúten do seu filho, como as massas, que o responsável da cozinha usará para adaptar os menus. Para os lanches no jardim-de- infância, providencie o pão congelado para ser usado diariamente e, caso a criança goste, forneça também a manteiga/compota/marmelada, de modo a evitar contaminações cruzadas.
  • Converse com os supervisores da hora das refeições: as crianças trocam Assim, além da probabilidade de ingestão de glúten, o seu filho pode acabar com fome. Então o que se deve fazer é explicar ao seu filho porque não deve trocar de lanche com os colegas, e certifique-se os monitores do refeitório estão com atenção às trocas.
  • ao professor um stock de  guloseimas sem glúten: um grande saco  de doces embalados individualmente funciona bem, e elimina riscos de contaminação. Deixe oprofessor decidir o que deve ser dado e quando. Certifique-se de que são as guloseimas  preferidas do seu filho para que ele não fique triste ao comparar com as dos colegas.
  • Faça um calendário de aniversários dos colegas e festas programadas: normalmente, os professores não se importam de fornecer uma lista de aniversários de todas as crianças. Desta forma, no dia em questão poderá enviar um doce sem glúten para que o seu filho não se sinta posto de parte ou limitado às tais guloseimas que o professor tem para emergências. Poderá também enviar várias fatias de bolo congeladas que o professor irá usando à medida que os aniversários Convém alertar para que não se esqueçam de avisar quando as fatias estiverem a acabar, para evitar que o seu filho fique sem bolo num aniversário.
  • No aniversário do seu filho, traga um doce sem glúten que todos gostem: um bolo de chocolate costuma ser do agrado de todas as crianças e há imensas receitas deste doce sem glúten e Deve-se, no entanto, garantir que não há crianças alérgicas ao chocolate ou a outros alergénios que o bolo possa conter, na turma. Devemos respeitar se queremos respeito.
  • Actividades educativas: convém não esquecer que há actividades que poderão envolver o uso de materiais com glúten, tais como a plasticina, giz, colas, tintas ou massas para Fale com o professor para saber qual a plasticina que usam e se é apta. Caso não seja, ofereça-se para fornecer uma plasticina sem glúten. Peça também para ser informado com antecedência sobre as actividades com massa para colagens: ofereça-se para enviar massa sem glúten ou sugira alternativas como arroz ou feijões.